quinta-feira, 11 de novembro de 2010

Solenidade de Cristo Rei do Universo (21 de novembro de 2010).

No domingo, 21 de novembro deste ano celebraremos a Solenidade de Cristo Rei do Universo. Esta Solenidade foi criada pelo papa Pio XI em 1925. Instituiu que fosse celebrada no último domingo de outubro. Agora, na reforma litúrgica passou ao último domingo do ano litúrgico como ponto de chegada de todo o mistério celebrado, para dar a entender que Ele é o fim para o qual se dirigem todas as coisas, Cristo é o centro do universo e para Ele tudo conflui.  
 A criação desta festa tinha uma conotação política de grandiosidade, com o objetivo de mostrar o senhorio de Jesus sobre o mundo, acima das situações de ateísmo e falta de religião. Como cristãos católicos, somos chamados a viver o senhorio de Jesus de maneira concreta. Ter Jesus como Senhor é dar a ele prioridade em nossa vida, pois tudo foi feito por Ele, por meio dele e para ele são todas as coisas (Rm. 11,36). Hoje, mais do que nunca, estamos imersos em uma sociedade que exige cada vez mais de nós e muitas vezes deixamos de lado coisas importantes e necessárias à nossa vida, como por exemplo, a nossa fé em Jesus. Nós a afirmamos com os lábios muitas vezes, mas, na prática a negamos no coração. Gostamos de seguir Jesus em sua glória, mas quando somos chamados a tomar parte nos seus sofrimentos por meio dos nossos próprios, o abandonamos.
  Para viver o Senhorio de Jesus é preciso, antes de tudo, ter fé e deixar-se invadir pelo Espírito Santo, sendo conduzido por sua influência. Pois está escrito: “Ninguém pode dizer que Jesus é o Senhor, senão pelo Espírito Santo” (I Cor. 12,3b). E depois, ter consciência de que a vivência do Senhorio de Jesus não é algo mágico, mas se trata de um árduo processo que envolve a nossa adesão pessoal e também nosso testemunho de vida. Peçamos como a Oração-Coleta deste domingo:
Deus eterno e Todo-Poderoso, dispusestes restaurar todas as coisas no vosso amado Filho, Rei do universo, Fazei com que todas as criaturas, libertas da escravidão do pecado, e servindo à vossa Majestade, vos glorifiquem eternamente.  (Missal Romano-Coleta, Solenidade de Cristo Rei ). 

 Os vinte e quatro anciãos se prostravam diante daquele que estava sentado no trono, para adorar o que vive para todo o sempre. Depunham suas coroas diante do trono de Deus e diziam: “Tu és digno, Senhor, nosso Deus, de receber a glória, a honra e o poder, porque criaste todas as coisas. Por tua vontade é que elas existem e foram criadas” (Ap. 4,10-11).
 Frater Henrique Maria, sjs.
Escrito para: Jornal Uma Nova Unção, ano XVII, ed. 97: Fraternidade Jesus Salvador.



Nenhum comentário:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...