domingo, 25 de dezembro de 2011

O gesto de Maria...


Em cada Natal,
o Gesto de Maria
a indica-nos o Salvador.

Tão simples, minha mensagem:
levar-te AMOR.

Que difundas, à tua passagem, 
entre os homens, sempre.
Porque hoje nasceu para nós
O AMOR!


Pe. Roque Schneider, SJ
Do livro: Feliz Natal (Ed. Paulinas, 1976).

terça-feira, 6 de dezembro de 2011

O falso rosto de Deus.

O cristianismo hodierno passa por uma crise que poderia ser denominada de crise de testemunho.  Gandhi afirmou certa vez: "Não conheço ninguém que tenha feito mais para a humanidade do que Jesus. De fato, não há nada de errado no cristianismo. O problema são vocês, cristãos. Vocês nem começaram a viver segundo os seus próprios ensinamentos." Para alguém quem nem mesmo foi cristão, esse homem entendeu muito bem o dilema que temos passado. Cada vez mais, descobrimos que há uma estranha dicotomia entre aquilo que se vive e o que professamos com nossos lábios. Penso que isso não é novidade, pois já falava o profeta: “Este povo me honra com os lábios, mas seu coração está longe de Mim” (Is. 29,13). Não se trata simplesmente de hipocrisia ou uma falsidade maldosa é algo mais profundo e problemático.
Um exemplo que ilustra esta realidade é o seguinte: em muitas de nossas igrejas, convivemos com pessoas que estão, a primeira vista, em um patamar elevado, ou aparentemente adiantadas no pregresso espiritual. Mas ao olhar com atenção, vemos que muitos estão vivendo uma duplicidade vida e, muitas vezes, não se dão conta disso. Na igreja agem com tamanha piedade que mais parecem “anjos”, mas no ambiente familiar e profissional, agem com a malícia de “demônios”. Qual seria o real motivo desta falta de testemunho em nosso meio?   
Como já disse, penso não se tratar de simplesmente hipocrisia, mas talvez tudo derive de algo mais complexo. Talvez seja o tipo de visão de Deus que muitos cristãos possuem. Cada vez mais, o cristianismo, de maneira geral, tem perdido sua objetividade. As pessoas têm criado para si cada qual uma imagem própria de Deus que não coincide com aquilo que o Senhor realmente é: sentimos-nos desamparados, criamos o deus-refúgio, estamos doentes, criamos o deus-que-cura (apenas isso, sem maiores compromissos), se sofremos derrotas e frustrações, criamos o deus-poder para nos socorrer. Todos estes aspectos enfatizados acima podem e devem ser atributos do verdadeiro Deus da Bíblia. Contudo, não podemos limitá-lo, fazendo dele um Deus-benfeitor que está aí apenas para nos servir e, nós em troca lhe oferecemos alguns favores em forma de serviço religioso, onde não nos deixamos envolver pela Sua totalidade. Este Deus que a fé da Igreja professa é, com certeza, capaz de transformar vidas. Isso, não apenas em seu exterior, mas dar-lhes a verdadeira conversão.
Nos últimos séculos, muitos criticaram a posição de estudiosos, como Freud, por exemplo, que afirmava que a religião gera pessoas alienadas e infantis. Na linha de suas explicações psicoanalíticas, esse “Deus” que tudo explicava e solucionava era o grande “seio materno” que equilibrava e (alienava) os homens em meio aos perigos e dificuldades da vida, e os fazia evitar a luta aberta no campo da liberdade e da independência[1]. Ao inventar para si um deus (que é projeção de si mesmo, de sua subjetividade) o homem mantém-se estagnado e alienado, e não avança rumo à verdadeira maturidade e liberdade, que só existe no relacionamento do verdadeiro Deus. Muitos vivem nessa mentira criada pela imaginação, onde adoram um falso rosto de Deus, que criaram à sua imagem e semelhança, ao invés de se deixarem-se transformar pelo Deus vivo.
Quando me abro ao relacionamento sincero com o Deus bíblico, ele me faz abrir mão de minhas pseudo-seguranças e enfrentar a realidade como é de fato. Mesmo que isso que me cause alguma dor e sofrimento, é sempre suportável, quando O tenho ao meu lado. É ele que me dá pés velozes como os das corças e me faz estar seguro nas alturas (cf. Sl. 18, 34). Aqui não há lugar para angelicalismo (agir como anjos) e hipocrisia, mas no relacionamento com Deus me torno mais humano. E Neste contato com Transcendente, também me abro ao próximo, pelo viés da Caridade cristã, que gera o autêntico testemunho cristão. Deus não criou o homem para a infantilidade, mas para alcançarmos a maturidade de Cristo (cf. Ef. 4,13), na liberdade.
No dia 21 de janeiro comemoramos o dia mundial da Religião, onde todas as religiões do mundo são lembradas. Entretanto, não são todos os caminhos que nos levam ao Deus verdadeiro, existem muitos deuses (obras de mãos e mentes humanas) que são cultuados hoje em dia. Se nós, cristãos declarados, fossemos mais fiéis ao Senhor e testemunhássemos com veracidade o Deus que professamos, talvez não houvesse tantas religiões no mundo. Lembremo-nos do conhecido chavão: palavras convertem, mas testemunhos arrastam.



[1] Cf. Inácio LARRANAGA. Mostra-me o teu rosto (caminho para a intimidade com Deus), p. 353s.

sexta-feira, 2 de dezembro de 2011

Vinte e três razões porquê sou CATÓLICO...


Muitas pessoas se deixam levar pelas balelas dos ditos "evangélicos" e ficam confundidos. Esses não buscam aprofundar-se na fé cristã-católica, ignorando a exortação do apóstolo Pedro: "Dar as razões da nossa esperança a todo aquele que a pedir" (I Pd. 3,15). 
As 23 razões porquê sou católico:

1º - A Igreja Católica tem como seu fundador o próprio Jesus Cristo ( Mt 16,18-19) 


2º - A Igreja Católica é governada segundo a forma bíblica: bispos (Atos 20,28; Flp 1,1; Tt 1,8), presbíteros = anciãos (Atos 15, 2-6,21,18; 1Pdr 5,1) e diáconos (Atos 6, 1-6). 



3º - A Igreja Católica comprova a sua autoridade com a sucessão apostólica.



4º - A Igreja Católica foi confirmada por Deus e inaugurada para o mundo com a vinda do Espírito Santo em Pentecostes (Atos 2).



5º - A Igreja Católica segue a advertência bíblica contra as divisões, cismas e sectarismo (Mt 12,25; 16,18; Jo, 10,16; 17,20-23; Atos 4,32; Rom 13,13; 1Cor 1, 10-13; 3,3-4; 10,17; 11,18-19; 12,12-27; 14,33...). 



6º - A Igreja Católica está fundamentada na autoridade da Bíblia (Hbr 4, 12-13; 2Tm 3,16-17; da Tradição, isto é, o conteúdo da doutrina cristã vindo desde o começo do cristianismo que garante a continuidade da única e mesma mensagem de Cristo (2Ts 2,15 consultar Bíblia de Jerusalém e a versão protestante João Ferreira de Almeida; 1Cor 11,2) e do Magistério, isto é, a palavra do papa e dos bispos unidos a ele (Mt 16,19; Lc 10,16).



7º - A Igreja Católica recebeu a missão de ensinar a verdade e cuidar da sã doutrina ( Mt 28,19-20 e Atos 2, 42), e assim evitar o erro das interpretações particulares que provocam discussões e diversidades. Ela é "coluna e sustentáculo da verdade"(1Tim 3,15).



8º - A Igreja Católica conservou a Bíblia com todos os livros do antigo Testamento (46 livros), conforme o uso dos primeiros cristãos e confirmado pelos Concílios regionais de Hipona (393), Cartago III (397), Cartago IV 9419) e Trulos (692). E, quanto ao Novo Testamento, inspirada por Deus, estabeleceu os 27 livros. Foi ela também quem dividiu a Bíblia em capítulos e versículos para facilitar a sua leitura.



9º - A Igreja Católica em os sete sinais da graça de Deus: os sacramentos. O Batismo (Mt 29,19), Crisma (Atos 8,18), Eucaristia (Mt 26,26-29), Matrimônio (19,3-9), Unção dos Enfermos (Tg 5,13-15), e a Ordem (instituído por Jesus durante a Última Ceia, quando disse aos seus apóstolos na Última Ceia: "Fazei isto em memória de mim" (Lc 22,19).



10º - A Igreja Católica acredita que o batismo é necessário para receber a salvação (Mc 16,16), o perdão dos pecados, o Espírito Santo (Atos 2,38) e tornar-se membro da Igreja (Atos 2,41). 



11º - A Igreja Católica continua a conceder o sacramento da Crisma do mesmo modo como no passado (Atos 8,18, isto é, pelos bispos, sucessores dos apóstolos. 



12º - A Igreja Católica crê na presença real de Jesus na Eucaristia (Jo 6,51.53-56). Ela vive fielmente as palavras da Última Ceia: "Isto é o meu corpo, que é dado por vós... Este cálice é a Nova Aliança em meu sangue, que é derramado por vós" (Lc 22,19.20).



13º - A Igreja Católica mantém a prática de dar uma nova oportunidade de perdão dos pecados através dos sacramentos da penitência ou confissão, conforme a vontade de seu fundador (Jo 20,23).



14º - A Igreja Católica professa ser o matrimônio indissolúvel, conforme o ensino de Seu fundador (Mt 19,3-9). e ao mesmo tempo tem misericórdia e acolhe com amor aqueles(as) que passaram pela dura experiência da separação.



15º - A Igreja Católica continua o sacerdócio instituído por Jesus Cristo na Última Ceia (Lc 22,14-20), e continuado desde a Igreja primitiva (Atos 6,6; 14,22; 1Tm 4,14; 2Tm 1,6) até os nossos dias.



16º - A Igreja Católica continua a prática da Unção dos Enfermos para pedir a cura para o espírito, alma e corpo, conforme o ensino bíblico (Mc 1,13; 1Cor 12,9; Tg 5,14-15) e a prática dos primeiros cristãos passada de geração em geração até aos nossos dias.



17º - A Igreja Católica venera a Virgem Maria conforme uma profecia bíblica (Lc 1,48) e a vontade do próprio Jesus (Jo 19,25-27).



18º - A Igreja Católica professa quatro verdades fundamentais sobre Maria: ela é a mãe de Deus (Lc 1,43); permaneceu virgem antes, durante e depois de dar a luz ao filho de Deus (Mt 1,16.18); em vista do seu divino Filho foi concebida sem pecado (Imaculada Conceição) (Lc 1,28); terminado o seu tempo na terra foi elevada ao céu em corpo e alma (Assunção) (Ap 12,1-14). 



19º - A Igreja Católica aceita a autoridade dos Concílios Ecumênicos realizados desde o início do Cristianismo (Atos 15), e no decorrer dos séculos foram definindo a doutrina cristã. 



20º - A Igreja Católica crê na doutrina bíblica do céu (1cor 2,9; Ap 21,3-4), inferno (Mc 9,43-44) e no valor da oração pelos mortos (2Mac 12,39-45; 1Cor 3,11-15; Tb 12,12; 1Cor 15,29; 2Tm 1,16-18).



21º - A Igreja Católica acredita na eficácia da intercessão da Virgem Maria e dos santos, conforme o testemunho apresentado pela própria Escritura (Gn 18,23-31; Ex 32,11-14; Rom 1,9; Tg 5,16), e o testemunho de cristãos que atribuem as graças alcançadas à intercessão dos santos e santas. 



22º - A Igreja Católica crê na existência dos anjos, e também na eficácia do seu auxílio (Ex 23,20-23; Tb 3,25; Sl 90,11).



23º - A Igreja Católica acredita que cada pessoa tem um anjo da guarda (Sl 33,8; Mt 18,10; Atos 12,15; Hbr 1,14) 


Do livro: Quem fundou a sua Igreja?
Pe. Alberto Luiz Gambarini.
Ed. Ágape.

terça-feira, 15 de novembro de 2011

Abaixo Assinado contra Balada sacrílega em Manaus

Foi noticiado no site Petição Pública um protesto contra uma certa balada para jovens um tanto estranha (por que não dizer diabólica?!), denominada "M. I. S. S. A." O site diz:

“Trata-se de abaixo assinado contra o evento M.I.S.S.A, realizado em vários estados brasileiros, e em Manaus acontecerá precisamente no dia 17/12/2011. O referido evento além de utilizar o mesmo nome aplicado ao culto Católico(Missa), ainda emprega o uso das vestimentas utilizadas pela Igreja nos seus promotores para que os mesmos recepcionem os participantes da festa. Também recepciona os convidados um grupo de anões fantasiados de anjos, padres e demônios, e a mesa utilizada pelo DJ condutor da festa é decorada para dar a entender tratar-se de um altar. Há também dois adesivos, um verde escrito “peco” e outro vermelho dizendo “não peco”. Não é preciso muita inteligência para saber o que isso significa. Há também o tal do 'PAPArazzo', um fotógrafo fantasiado de Papa para fotografar as pessoas durante a festa.”

Pedimos a todos os católicos, em especial nossos seguidores que entrem no site citado acima e assinem a petição contra tal balada sacrílega. Os símbolos de nossa religião, ou de qualquer outra, não devem ser banalizados desta maneira tão deplorável. 

terça-feira, 8 de novembro de 2011

quarta-feira, 2 de novembro de 2011

A ciência humana fez recuar o "império da morte", mas não o aboliu!


Morar em uma cidade grande, como nossa melalópole chamada São Paulo, há suas conpensações. Entretanto, percebo um fenômeno muito lastimável que é corriqueiro em nossas cidades: as pessas se esquecem que vão passar. Muita gente imagina que suas vidas não têm fim, “a do coitado do vizinho que eu mal conheço, esta sim termina, mas a minha não!” São ideias como esta que subjaz no inconciente coletivo de muitas pessoas.
Pietá(bronze) sepultura - cemitério da Consolação, SP.
Mas há algumas decadas não era bem esta a mentalidade que vigorava entre nós. Na época de nossos avós e bisavós as pessoas tinham mais viva em suas mentes o que podemos chamar de império da morte[i], que sendo algo visível e palpável assombrava-os todos os dias. Todos temos relatos de parentes que morreram por causa de uma unha infeccionada ou um dente que tenha inflamado, ou de gripe, etc... Quando a vida era curta, o que lhes restavam senão, a pegar-se a religiosidade. Nos países de tradição católica, o único grande recurso diante da morte  iminente  era chamar o sacerdote, os seus ritos era um caminho que os fazia alcançar um “morrer em paz”. Segundo o Pe. Léon Burdin, esta era uma realidade a céu aberto, e todos sabiam que passariam por ela! O sacerdote quando vinha em auxilio ao moribundo, estado apoiado na autêntica espiritualidade cristã, dava um sentido a este inevitável destino humano, onde a pessoa se mantinha firme ante a dor e o sofrimento que era imersa. Não haviam particamente recussos médico-hospitalares e as pessoas se abituavam com isso.
Para ilustrar isso, perquisas apontam que em 1900, as pessoas da Europa desenvolvida morriam com 45 anos. Hoje, a média já chega a 80 anos em vários países. E esse crescimento continua. Segundo dados mais recentes da ONU (Organização das Nações Unidas), uma pessoa que nasceu em 1950 tinha, em média, 46,5 anos de vida pela frente. Um neto nascido em 2000 deverá viver 65 anos. O neto do neto, que venha ao mundo em 2050, vai morrer aos 75,1 anos. o IBGE prevê que só em 2030 o Brasil deverá superar a barreira dos 80 anos de expectativa de vida[ii]. No início desta semana, a Humanidade veio a completar um número antes nunca alcançado: a população mundial chega à marca de 7 bilhões habitantes! E  cada vez mais é fortalecida a ideia de que a morte demorará a chegar, como já dito. Por mais que a Humanidade pense não precisar de Deus, de ter alcançado a plenitude de sua autonomia, e tenha criado para si esta pseudo-imortalidade, a realidade da morte continua sendo algo presente. Apenas fez recuar o império da morte. O único que nos liberta desta terrivel realidade, dando-nos esperança e coragem é Jesus, nosso Salvador!


“Eu vim para que as ovelhas tenham vida e para que a tenham em 
abundância” (Jo. 10,10b).


[i] BURDIN, Léon. Morrer, uma obra de arte. São Paulo:Paulinas, 2002 (col. Adultos em Cristo).

quarta-feira, 19 de outubro de 2011

Missionário italiano é assassinado nas Filipinas


A vida do Pe. Fausto Tentorio, missionário de origem italiana assassinado nesta segunda-feira (17/10/2011) nas Filipinas, foi um “dom total”, afirmou o Pe. Bernardo Cervellera, missionário do Instituto Pontifício de Missões Exteriores (PIME) e diretor de AsiaNews.
O Pe. Fausto, pároco de Akaran (província de Cotabato, na ilha de Mindanau), foi assassinado pouco depois de ter celebrado a Missa e antes de ir a Kidapawan para encontrar-se com os demais sacerdotes da diocese.
O assassino, com o rosto coberto por um capacete, aproximou-se dele e golpeou-lhe a cabeça e as costas, afastando-se depois em uma motocicleta, com um cúmplice. O sacerdote foi transladado ao hospital, mas os médicos não puderam fazer nada além de constatar o falecimento. Cervellera destacou da vida do Pe. Fausto as “longas visitas pastorais de moto, de carro ou a cavalo, para encontrar-se com os grupos tribais mais perdidos; dormir sobre uma esteira no chão; comer as pobres coisas dos indígenas para construir uma igreja na qual ser estrangeiro ou local não cria marginalização ou diferenças injustas; comprometer-se na educação de crianças e adultos”.
“O Pe. Tentorio era um homem de poucas palavras e de quem nos restam poucos escritos – afirmou. Mas permanece forte o carinho que os indígenas tinham por ele, vivo e morto.” O sacerdote assassinado tinha 50 anos e se encontrava nas Filipinas há mais de 32. 
“Carinhosamente, nós colocamos nele o apelido de 'o tribal', por como se identificava com oslumad, os indígenas dos quais durante 30 anos foi o defensor contra todo tipo de discriminações”, referiu a MISNA o seu irmão, Pe.Giulio Mariani, diretor do Centro Missionário Euntes, em Zamboanga.
“Ele se vestia como eles, falava a sua língua, conhecia a sua cultura – acrescentou. Os missionários do PIME perderam um amigo; os lumad perderam um pai, um irmão. Sabiam que ele teria feito qualquer coisa por eles.”
Em 2003, o Pe. Fausto escapou de um atentado. De certa forma, seu assassino “pegou todos de surpresa”, explicou à agência vaticana Fides o Pe. Giovanni Vettorello, também do PIME.
“Não vivemos uma fase de especial tensão, como no passado. Certamente, o trabalho missionário comporta sempre riscos, mas o Pe. Tentorio não tinha inimigos, nem me disse jamais que havia recebido ameaças, nem houve nenhum episódio detonante para motivar o delito. Também era uma pessoa muito astuta e prudente”, disse Vettorello.
O sacerdote continuou explicando que o Pe. Tentorio “dedicou toda a sua vida ao serviço da alfabetização e do desenvolvimento dos indígenas chamados lumads, em particular da tribo dosmanobo”.
Nesta obra, às vezes “podem surgir problemas relativos à prioridade de terras, aos conflitos entre agricultores, às disputas entre tribos diversas, mas ninguém esperava um acontecimento trágico assim”.
“Tenho certeza de que o sangue do Pe. Fausto é o sangue de um mártir, que dará bons frutos para a missão nas Filipinas”, destacou o Pe. Giovani.
Por outro lado, o bispo, Dom Romulo de la Cruz, mostrou-se “comovido e sem palavras” pela tragédia.
O corpo do Pe. Fausto foi levado à sua paróquia, onde os fiéis o velaram, rezando sem cessar.
O Pe. Tentorio é o terceiro missionário italiano do PIME assassinado na ilha de Mindanau. Em 1985, o Pe. Tullio Favali foi assassinado em Tulunan por um grupo de guardas privados armados, enquanto, em 1992, foi assassinado em Zamboanga City o Pe. Salvatore Carzedda, comprometido no diálogo com os muçulmanos.


sexta-feira, 7 de outubro de 2011

A VIDA virando comércio...

A Revista Super Interessante deste mês de outubro nos trás um notícia que está mais para SUPER HORRIPILANTE! O artigo, intitulado "Bebê Globalizado", afirma:
Seu  celular  é  made   in  CHINA  , sua  camiseta   pode   ter  sido  produzida   no   VIETNÃ , e  o  vinho  que   você   bebe   é  chileno  ou  argentino . SE  TUDO   É  GLOBALIZADO  ,  PORQUE  SEU  FILHO   TAMBÉM  NÃO  PODE  SER ?  A    nova  moda  entre  casais   que   precisam  ter  filhos  e  não  podem   ou   casais  homossexuais  é  globalizar o   nascimento  do  bebê. Um  casal   americano   recorre   a  INDIA ,  PANAMÁ ,  PAQUISTÃO  E  GRÉCIA  PARA  COMPRAR   ÓVULOS   OU  ESPERMA  E  ALUGAR  UMA   BARRIGA   PARA   O   PARTO .  Nos   EUA  TEM   UM   SITE  ,   que  se  encarrega  de  tudo ,  o  cliente   podendo    escolher  de  qual  país  virá o  esperma , onde   nascerá o  bebê  ,  em  qual  país  será   alugada    a  barriga , sexo  possível  ,cor  dos  olhos  e  cabelos  do  bebê  e  até   se  pagarem   mais   a  leitura   do   genoma   contido  no  esperma. MUITOS  DEFENSORES  DE  DIREITOS  HUMANOS   DIZEM   QUE  ESSA  É  A  NOVA  FORMA   DE  EXPLORAR  A  POBREZA ,  ALUGAR  BARRIGAS . 
 Isso nos põe entre num grave dilema ético-moral, pois o homem brinca com a vida; não estamos falando de crias de cães de raça, ou algum tipo de gado, mas se trata de comercializar aquilo que há de mais valor, a vida humana. 
A Igreja já se manifestou muitas vezes para falar do assunto, entre elas, quando lanço a "Donum Vitae" (1987) e em sua atualização, a "Humanae Viatae" (2008). Onde vamos parar com tudo isso? 


sábado, 1 de outubro de 2011

Contenplatio (parte 2)

Ainda um pouco mais de Contemplação...
Não coloquemos a contemplação como sendo algo de mágico, onde vozes, visões, levitações, bilocações, luzes aconteceriam a torto e a direito. Isto é uma concepção errônea da comunhão íntima com Deus, dando-nos a entender que se não acontecerem estamos distante da verdade sobre a contemplação. Onde o fascínio é parte integrante , mesmo na dor, desse processo. Saibamos que não devemos buscar  “ na contemplação uma fuga ao conflito, à angústia, à dúvida. Pelo contrário, a certeza profunda, inexprimível da experiência contemplativa, desperta uma trágica angústia e suscita muitas interrogações nas profundezas do coração, semelhantes as feridas que não cessam de sangrar.” Aqui podemos entender que a contemplação não se trata de algum ópio diante da vida trágica de alguém. Na contemplação a novidade do SER de Deus se torna evidente e por isso dolorosa, até que a relação EU – TU se converge para EU SOU onde nós dizemos com Ele, EU também SOU, mas em TI. Querendo dizer que a união vai além do tempo e do espaço, desta forma chegamos ao centro da vida contemplativa: “Não sou eu quem vivo é Cristo que vive em mim”( Gálatas 2,20 ).
Verdadeiramente a contemplação que resulta da oração não é algo que simplesmente nos faça sentirmo-nos bem em nosso corpo, em nossos sentidos, ou seja, não é para termos uma vantagem qualquer, mas sim para termos comunhão profunda e assim sermos livres. O silêncio, tanto nosso silêncio, como o silêncio diante da saciedade de nossos sentidos faz-nos ultrapassar a matéria, é realmente um silêncio de Deus. Que longe de demonstrar-se como castigo é terapêutico e formador. A contemplação se dá além  de tudo que compreendemos num grande silêncio. Ao abismo de nossa alma  somente o abismo do amor de Deus. Mergulhados nas profundezas de Deus, na solidão árdua do rompimento de nossa tendência ao barulho, nos tornamos felizes pela simplicidade de sermos tomados, rendidos e curados.(...).


Tomas MERTON. Novas sementes de Comtemplação. p. 28, (Ed. Fissus, Rio de Janeiro), 2001.

sexta-feira, 16 de setembro de 2011

Contemplatio


Monge cartuxo em meditação da Palavra

(...) A contemplação é inserir-nos no mistério silencioso de Deus e provar tudo o quanto ele tem a nos conceder. Deus é sempre uma novidade dada a se revelar, ele é inesgotável, quanto mais inseridos nele mais temos a descobrir, tanto que, fez-nos para a eternidade, que nada mais é que a comunhão plena na verdade de nossos seres. Diante  de bem tão grandioso devemos nos pasmar e calar, permitirmos ser invadidos. Já que todo contato com Deus se dá por iniciativa dele mesmo, ao revelar ele se revela. Tudo o que temos da realidade espiritual nos foi dada por ele de alguma forma. (...) Contemplar é se deparar com o inexplicável e assumí-lo com fé, e não somente com fé, mas também com amor.

(...) A contemplação é a expressão mais forte do contato do homem para com Deus. É a consciência, admiração e elevação à Fonte única e verdadeira de todo bem levado pela certeza inexplicável de sua existência, unicamente baseada na fé. É ver espiritualmente já que os olhos da carne só alcançam o perecível, contudo indo além de nosso próprio ser e nossas faculdades. Nela perdemos o conceito do que somos e assumimos a verdade de nós mesmos. Aqui nos deparamos com as respostas mais sinceras de tudo que se passa em nós, mesmo sem efetuarmos qualquer pergunta, já que nossa própria existência é em ato um questionamento. É sermos acolhidos, como um dom dispensado a nossa humanidade para que encontre sua maior verdade e razão de ser. Onde nossas essências se unem fazendo-nos estar em comunhão profunda despertando-nos da “ilusão” de nossa vida passageira, onde temos o conhecimento puro do princípio e do fim de todas as coisas.
(...) Lembremo-nos que é um dom de Deus, onde cada contemplativo tem sua maneira de vivenciar. O correto seria permitir-nos levar pelas mãos magistrais daquele que é o “objeto” da contemplação, o próprio Deus. Pois o quanto mais quisermos “dissecarmos” a contemplação, mais esvaziaremos seu sentido. Ela está fora de nossos parâmetros, raciocínios e conceitos. Cometeremos o risco de superficializarmos e a colocarmos encaixada em nossa vida como mero componente adquirido pela reflexão (...).



Tomas MERTON. Novas sementes de Comtemplação. p. 28, (Ed. Fissus, Rio de Janeiro), 2001.


quarta-feira, 31 de agosto de 2011

Semana Nacional da Vida - 2011

A Semana da Vida (01 a 07 de outubro) e Dia do Nascituro (08 de outubro), instituídos pela Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) é ocasião especial para colocar em evidência o valor e beleza desse DOM PRECIOSO QUE RECEBEMOS DE DEUS. De modo especial, salientamos o valor sagrado da vida humana, em todas as suas dimensões. Diante de tantos ataques que a vida vem sofrendo em nossos dias, é missão do cristão e da Igreja reafirmar sua importância inestimável e inegociável. A vida é o fundamento sobre o qual se apoiam todos os demais valores. 
Por ocasião do lançamento, alguns anos atrás, a CNBB, através da Comissão Vida e Família, distribuiu folder motivador com os seguintes argumentos: “O Evangelho da vida está no centro da mensagem cristã (Evangelium Vitae, 10). Deus, que é o Senhor da Vida, confiou aos homens o nobre encargo de preservá-la. (Gaudium et Spes, 51). Por isso, a Igreja declara que o respeito incondicional do direito à vida de toda pessoa - desde a sua concepção até a morte natural - é um dos pilares sobre o qual se assenta toda a sociedade e um Estado verdadeiramente humano.
Defender este direito primário e fundamental à vida humana é um dever de Estado. Atuar em favor da vida é contribuir para a renovação da sociedade através da edificação do bem comum. Não é só a guerra que mata a paz. Todo crime contra a vida é um atentado contra a paz. O aborto é um crime contra a vida e contra a paz, pois a vida individual e a paz geral estão estreitamente ligadas.”
Foi inspirada na “Semana da Vida” e no “Dia do Nascituro” que a Arquidiocese de Olinda e Recife decidiu realizar a caminhada “Sim à Vida”, na Av. Boa Viagem, no último domingo do mês de setembro. 
Nesta 4ª edição, desta vez ecumênica, contou com surpreendente número de participantes, sobretudo, jovens provenientes do setor juventude de nossas paróquias e comunidades. O clima era de alegria e descontração, onde reinou paz e fraternidade, sem nenhum incidente. Na minha palavra de abertura destaquei a preocupação da Igreja Católica e demais denominações cristãs, com o insistente esforço, de reduzido número de parlamentares, no Congresso Nacional, pela aprovação de Projeto de Lei, que visa a descriminalização do aborto.
Entendemos que nascer é um direito da criança. A mãe é dona do seu corpo, mas, não é dona da vida que traz no seu ventre. Preocupa-nos, igualmente, a eutanásia sob o argumento de “direito de decidir sobre a própria vida”. Repudiamos toda e qualquer violência contra o ser humano: o trabalho infantil e escravo, o racismo, os sequestros para fim de exploração sexual e tráfego de órgãos, além dos maus tratos dos nossos idosos(as) abandonados nas ruas, nos abrigos ou no próprio lar. Aumenta, cada vez mais, o número de adolescentes e jovens, entre 15 e 25 anos, exterminados, em nosso País, sem falar no crescimento das drogas (lícitas e ilícitas), condenando as famílias a um verdadeiro martírio, enfrentando grandes lutas, sem sinais de esperança.

Eis a razão do nosso grito profético! Temos esperança que ecoe, especialmente, no coração daqueles(as) que utilizam argumentações várias para contestar os princípios da moral e da ética cristã em defesa da vida.

“Eu vim para que todos tenham vida e a tenham em abundância” Jo.10,10.

Dom Fernando Saburido.
Arcebispo de Olinda e Recife.




Acolhida da Cruz da JMJ - Brasil 2013

A Acolhidaserá no dia 18/09/2011, das 9h às 21h no Campo de Marte. Às 16h será a chegada da Cruz e a S. Missa. Neste meio tempo, diversas atrações com cantores. Não percam!!!

Dom Odilo  já "
vestiu a Camisa"!

segunda-feira, 29 de agosto de 2011

Liturgia das Horas - Próprio da Congregação da Paixão

Recentemente me foi presenteado por um amigo, algo que não tinha conhecimento que existia, Uma LITURGIA DAS HORAS  - PRÓPRIO DA CONGREGAÇÃO DA PAIXÃO (Passionistas). Que inclui num só volume todos os Ofícios Próprios e Votivos da Congregação e além destes criar a possibilidade de rezar também as Laudes, a Hora Média, as Vésperas e Completas do Tempo Comum da Liturgia das Horas (versão Portuguesa). Acho que depois que passei a postar artigo de São Gabriel de N. Senhora das Dores, ficou mais do que público minha devoção por ele. Agradeço ao xará e amigo Henrique Felício pelo presente.



Morre Dom Bruno Gamberini

 Dom Bruno Gamberini
* 16/07/1950 + 28/08/2011.



Nasceu em Matão, SP, no dia 16 de julho de 1950, festa de Nossa Senhora do Carmo e Ano Santo do Dogma da Assunção. É filho do Sr. Armando Gamberini (falecido em 1987) e da Sra. Tirsi Castellani Gamberini, terceiro filho entre um irmão e três irmãs.
Dom Bruno sofria, já há algum tempo, com o diabetes. No dia 20 de junho passado, três dias antes da Solenidade de Corpus Christi, Dom Bruno foi internado no Hospital e Maternidade Celso Pierro, da PUC-Campinas, em razão de uma indisposição. Foi diagnosticado o quadro de encefalopatia que em razão do mal funcionamento do fígado, as toxinas afetam o cérebro, causando dormência e esquecimento. Seu quadro se agravou, com a falência dos rins e fígado, ficando por dois dias em coma na Unidade de Terapia Intensiva Adulto.
Com a graça de Deus, se recuperou e na tarde dia 23 de junho, Corpus Christi, foi liberado do Hospital e passou a se recuperar na casa do saudoso Monsenhor José Antônio de Moraes Busch, tendo em vista a necessidade de tranquilidade absoluta e o monitoramento constante de seu estado de saúde. No dia 17 de julho, Dom Bruno voltou a ser internado na Unidade de Terapia Intensiva Adulto do Hospital e Maternidade Celso Pierro, com o quadro de encefalopatia, mas mantinha-se acordado, consciente, lúcido e conversando. Alimentava-se sozinho e seus sinais vitais estavam dentro da normalidade. Permaneceu internado até o dia 19 de julho, quando foi liberado e voltou para a sua residência particular, acompanhado por sua sobrinha, Carolina.
Na noite de 22 de agosto, rompeu-se uma veia do seu esôfago, causando uma grande hemorragia. Dom Bruno foi imediatamente levado ao Hospital e Maternidade Celso Pierro, onde ficou internado na Unidade Coronária (UCO). Na madrugada de 26 de agosto, às 02h30, foi transferido para o Hospital Bandeirantes, em São Paulo, para ser acompanhado por uma equipe de hepatologistas. No domingo, dia 28 de agosto de 2011, às 15h00, Dom Bruno faleceu em decorrência de falência de múltiplos órgãos.


Morre Dom Clemente José Carlos Isnard


D. CLEMENTE JOSÉ CARLOS ISNARD
* 16/08/1917 + 24/08/2011

 Faleceu no início da noite da última quarta-feira, 24, em Olinda (PE), o primeiro bispo da Diocese de Nova Friburgo, d. Clemente José Carlos Isnard, o mais querido e amado de Nova Friburgo.
Ele nasceu no Rio de Janeiro, na Rua Paissandu, em 8 de julho de 1917. Terceiro filho, teve uma irmã e um irmão, tendo sido concebido cinco anos após o último. Sua mãe à época tinha 40 anos, seu pai era comerciante de automóveis na Rua Sete de Setembro. Ainda na árvore genealógica da família Dom Clemente é neto de imigrante francês, chegado ao país em circunstâncias estranhas. Seu avô viajou brigado com a família de Toulouse, sul da França, tendo de lá embarcado para a Austrália, pois seu pai tinha se casado pela segunda vez e ele não aceitava aquela união.
Filho de Ernesto Isnard e Zulmira de Gouveia Isnard, d. Clemente foi ordenado sacerdote em 19 de dezembro de 1942, nomeado bispo em 23 de abril de 1960, sagrado em 25 de julho de 1960. Em 26 de março de 1960 o papa João XXIII criou a Diocese de Nova Friburgo, através da bula “Quandoquidem Verbis” desmembrada das dioceses de Campos e Valença, sendo núncio apostólico da época dom Armando Lombardi. Um mês depois, d. Clemente foi nomeado primeiro bispo da Diocese e tomou posse em 25 de agosto de 1960, adotando como lema “Te Pastorem Sequens”, que traduzido para o português significa “Seguindo-te como Pastor”.
Sua passagem pela Diocese foi das mais profícuas, pois organizou as pastorais, criou dezenas de paróquias, constituiu milhares de amigos nos 19 municípios e transformou a Diocese em exemplo para o Estado do Rio de Janeiro.
Escreveu vários livros e foi empossado membro da Academia Friburguense de Letras e fundador da Associação Friburguense de Imprensa. Um dos principais escritos de sua autoria foi Magistério Episcopal (edição da Diocese), com artigos da REB em Grande Sinal.
No início de seus estudos d. Clemente teve um professor particular. Apesar de sua mãe ter cogitado a hipótese de colocá-lo no Colégio Santo Inácio, seu professor foi Ernane Reis, um notável que também lecionou para as famílias Guinle e Paula Machado. Com alguns de seus poucos professores católicos, como Alcebíades Delamare, e amigos que frequentavam as mesmas aulas, como Francisco Augusto de La Roque, que chegou a reunir outros alunos também católicos, criou um outro centro de estudos religiosos, porém, a maior paixão de dom Clemente era realmente a Ação Universitária Católica, na Praça XV. 
Teve a honra de ser amigo dos principais nomes da política e dos meios social e cultural do país, como Alceu de Amoroso Lima, Senador Vergueiro, Lurdinha—neta do Conde Paes Leme—, Carlos Lacerda, o poeta Raul de Leoni Ramos, Jayme Ovale e muitos outros.
Ele viajou quase o mundo inteiro pregando o Evangelho de Cristo e se notabilizando por suas opiniões sobre política, cultura, religião e outros assuntos. Foi, e ainda é, a maior autoridade em liturgia religiosa, pois seus escritos ainda estão à disposição de todas as pessoas que se interessarem. Exerceu o cargo de vice-presidente da CNBB por vários mandatos; foi coordenador nacional de Liturgia; vice-presidente do Conselho Episcopal Latino Americano (Celam), e conviveu com quatro diferentes papas—Paulo VI, João XXIII, João Paulo I e João Paulo II. Tinha o carinho de todos eles e constantemente era chamado ao Vaticano para reuniões de importância da religião católica. Foi um dos poucos bispos brasileiros a ter importância no Concílio Vaticano II e nas reuniões especiais de Medelin e Puebla, escrevendo, inclusive, documentos importantes sobre os dois grandes eventos da década de 70. D. Clemente foi ainda membro do Conselho Nacional de Cultura, em 1961, e membro do Conselho Estadual de Educação de 1961 a 1964.
Em sua passagem pela Diocese, organizou as pastorais, criou dezenas de paróquias, constituiu milhares de amigos em todos os 19 municípios e transformou a Diocese em exemplo para todo o Estado do Rio de Janeiro. Era sócio número 078 da Associação Friburguense de Imprensa (AFI) e Academia Friburguense de Letras (AFL).
Governou os católicos de Nova Friburgo por 33 anos, de 1960 a 1994, quando foi sucedido por d. Alano Maria Pena. Quando deixou a Diocese foi vigário geral da Diocese de Duque de Caxias. Criou o próprio clero, trouxe padres espanhóis e italianos para a Diocese, que foram de fundamental importância para o desenvolvimento pastoral. É tido como o Pastor de todos os momentos, pois tinha sempre uma palavra de carinho para todos que o procuravam. Sua voz serena e seu estilo calmo, típico de monge beneditino, o consagraram como um bispo confidente e aconselhador. Mesmo quando tinha que chamar a atenção de alguém, d. Clemente jamais alterava a voz. Organizou o Seminário Diocesano, que funcionou em Lumiar, depois Prado, e que hoje está num moderno espaço, de característica suíça, no Tingly, do qual participou da inauguração em 19 de agosto de 2006. 
Após deixar a Diocese, doou todos os seus paramentos ao museu diocesano. Retornou mais dez vezes, numa delas, em 2004, para celebrar uma missa de pedido de perdão aos padres Antonio Manguti, José Suarez e Fernando Rojo Hernandes, em virtude dos acontecimentos lamentáveis de 1985, que culminaram com o afastamento dos três religiosos da Diocese. Ano passado presidiu sua missa de Jubileu de Ouro Episcopal, celebrada na Catedral São João Batista, que recebeu lotação máxima. 
Exercia muita influência sobre os principais dirigentes da cidade, a ponto de ter sempre o carinho de todos eles, seja qual fosse o partido, cor da camisa, agremiação política, cargo ou função. Dom Clemente era sempre procurado para aconselhar na hora de uma decisão importante. Se antes de encerrar seu episcopado em Nova Friburgo tinha sempre a agenda cheia com pregações de retiros, palestras, conferências, encontros e outras atividades no Brasil inteiro, quando saiu este quadro não mudou e até há pouco tempo o bispo tido como o mais querido pelos fiéis tinha uma agenda bastante lotada. 
No ano de 2004 teve sua vida contada no livro Na porta do Mosteiro, escrito pelo professor Alexandre Gazé, e em 2008 publicou o livro Reflexões de um bispo, falando sobre as instituições eclesiásticas atuais. Nos últimos anos estava vivendo em Olinda (PE), ao lado do amigo e padre José Romero de Freitas e o arcebispo de Olinda e Recife, d. Fernando Favorito (OSB).
Seu corpo foi velado no Mosteiro de São Bento de Olinda (PE), onde, às 17h de ontem, 25, foi celebrada missa de corpo presente e ocorreu o sepultamento, às 18h, no próprio Mosteiro de São Bento de Olinda.


Pedimos ao Senhor que lhe conceda o descanso eterno!

quinta-feira, 25 de agosto de 2011

Bento XVI anuncia lema da próxima JMJ 2013 no Rio.

Foi noticiado pela ZENIT.org que o Papa Bento XVI anunciou hoje, ao término da audiência geral realizada no Palácio Apostólico de Castel Gandolfo, o lema escolhido para a Jornada Mundial da Juventude (JMJ) do Rio de Janeiro.
O lema será a passagem evangélica de Mateus 28, 18: “Ide e evangelizai todos os povos”. A JMJ do Rio será realizada entre os dias 23 e 28 de julho de 2013, segundo informa L'Osservatore Romano.
O lema escolhido pelo Papa sublinha o caráter missionário da próxima JMJ, como já anunciou o arcebispo do Rio de Janeiro, Dom Orani João Tempesta, na coletiva de imprensa realizada em Madri imediatamente depois do encerramento da JMJ 2011.
O Papa também anunciou o lema da JMJ do próximo ano que, como é tradição, será realizada nas dioceses no Domingo de Ramos de 2012: “Estai sempre alegres no Senhor!”, tirado da Carta aos Filipenses (4, 4).
“Desde já, confio à oração de todos a preparação destes importantes encontros”, disse o Papa aos fiéis reunidos no pátio de Castel Gandolfo.

segunda-feira, 22 de agosto de 2011

Bento XVI fala a jovens brasileiros - Artigo do Estadão (22/08/2011)


Todos os dias abro o jornal e observo como estas mídias escritas escrevem acerca de nossa fé. Uma coisa interessante: só escrevem de maneira superficial e sem vida, sempre pedem opiniões a pessoas aparentemente "qualificadas" , as despreparadas  porque geralmente não praticam a fé católica (acho que isso é proposital). Mas de vez em quando sai algo bom, como publico um trecho abaixo:

(Frases do Papa Bento XVI aos jovens brasileiros: )
"Espero poder encontrar-vos daqui a dois anos, na próxima Jornada Mundial da Juventude, no Rio de Janeiro, Brasil. Até lá, rezemos uns pelos outros, dando testemunho da alegria que brota de viver enraizados e edificados em Cristo. Até breve, queridos jovens", disse o papa, em português. 

O governador Sérgio Cabral e o prefeito da cidade, Eduardo Paes, foram a Madri ouvir a confirmação da escolha do Rio para ser a sede do encontro da JMJ em 2013, um ano antes da Copa do Mundo. Antes de fazer o anúncio, o papa dirigiu aos brasileiros palavras que se estendiam a todos os jovens:

"Queridos jovens e amigos de língua portuguesa, encontrastes Jesus Cristo. Sentir-vos-eis em contracorrente no meio de uma sociedade onde impera a cultura relativista que renuncia a buscar e a possuir a verdade. Mas foi para este momento da história, cheio de grandes desafios e oportunidades, que o Senhor vos mandou: para que, graças à vossa fé, continue a ressoar a Boa Nova de Cristo por toda a terra."

No fim da celebração, um grupo de voluntários espanhóis de camisas vermelhas entregou aos brasileiros, de camisas amarelas e calças verdes, a grande cruz de madeira e a imagem da Virgem da JMJ para serem levadas ao Rio. A cruz, um presente de João Paulo aos jovens das primeiras jornadas, chegará em 18 de setembro, conforme anunciou pela Rádio Vaticano o padre Antônio R. do Prado, membro da coordenação da JMJ e da Pastoral da Juventude, da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB).

Os aplausos encheram a imensa esplanada do aeródromo, onde milhares de peregrinos haviam passado, rezando e cantando, após a tempestade que, na véspera, havia interrompido a homilia de Bento XVI, na celebração de uma vigília de orações. 

quarta-feira, 17 de agosto de 2011

Está comprovado! Rio de Janeiro será sede da JMJ 2013!

Foi divulgado pela Zenit a informação abaixo. Estou muito contente com esta informação. Sendo a JMJ aqui em terras brasileiras, não há como não participar!!!


 CIDADE DO VATICANO, terça-feira, 16 de agosto de 2011 ( ZENIT.org ) - A Próxima Jornada Mundial da Juventude soros no Rio de Janeiro, EM 2013, revelou o porta-Voz da Santa Sé, padre Federico Lombardi SJ
Em hum Encontro com Jornalistas OS, o Diretor da Sala de Imprensa da Santa Sé destacou Que o anuncio soros FEITO solenemente Pelo Próprio Papa, não domingo 21 de agosto, AO concluir uma JMJ de Madri.
A Edição do Rio de Janeiro acontecerá com Um Ano de antecipação, EM 2013, EM Vez de 2014, par evitar Que coincida com uma Copa do Mundo de Futebol, Que Sera disputada no Brasil in 2014.
O Rio de Janeiro, Cidade emblemática do País com o Maior numero de Católicos do Mundo, eleita FOI UMA Disputa los com outra candidata, Seul, capital da Coreia do Sul.
Pará o Brasil, Sera o Terceiro grande acontecimento um si organizar Anos nn Próximos, Junto AO Mundial de Futebol (2014) e OS Jogos Olímpicos (2016).
Apos Buenos Aires, EM 1987, A Cidade brasileira soros uma Segunda da América do Sul um celebrar o Encontro Internacional.
Com um de Madri, ja si celebraram 26 JMJ, TODAS ELAS presididas Pelo Papa, 11 fóruns do Vaticano.
Trata-SE de Buenos Aires (Argentina), Santiago de Compostela (Espanha), Czestochowa (Polônia), Denver (estados Unidos), Manila (Filipinas), Paris (França), Roma (Itália), Toronto (Canadá), Colônia ( Alemanha) e Sydney (Austrália).
Cerca de 20 milhoes de Jovens participaram Desses Eventos Internacionais.
Como JMJ nasceram los 1984, Por Iniciativa do Papa João Paulo II. A Primeira Aconteceu los Roma, no domingo de Ramos do Ano citado, não Contexto Setoriais das Celebrações do Ano Santo Jubilar da Redenção (1983-1984).



CNBB lança site para jovens, por ocasião da Jornada Mundial da Juventude.

Gostei muito da iniciativa do setor Juventude da  CNBB, em lançar o site "jovens conectados" para nos fornecer informações atualizadas sobre tudo o que rola na  JMJ 2011. Eu indico!Vale à pena conferir!

terça-feira, 16 de agosto de 2011

3ª semana de agosto: VOCAÇÃO PARA A VIDA CONSAGRADA: RELIGIOSOS E CONSAGRADOS SECULARES;

Bem, nesta semana não pretendo fazer longa reflexão sobre a Vida Religiosa, pois até já fiz (Dia da Vocação Religiosa) Contudo, achei muito interessante esta afirmação:
Vida religiosa não é para pessoas fracas. É cada vez mais exigente. O celibato para o Reino de Deus e a virgindade consagrada, dizem, são coisas para sexualmente frustrados. A pobreza é considerada excesso de loucura e inaptidão administrativa. A obediência, uma inútil inibição dos projetos pessoais, uma afronta à liberdade individual. Essas coisas são bobagens, claro, mas só para os acomodados, os que ficam alucinados e iludidos pelas coisas do mundo, para os que adoram encontrar defeitos nos outros e só sabem criticar. Por isso, a vida religiosa sempre será questionada e sempre chamará atenção. O caminho é difícil e a porta estreita. É preciso empurrar para entrar, não é para todos”.
Bispo de Macapá







sábado, 13 de agosto de 2011

Sacerdotes espanhóis criticam gastos da visita do Papa Bento XVI na JMJ.

No dia de ontem li no jornal "O Estadão" que sacerdotes espanhóis estavam criticando a visita do Romano Pontífice à Espanha devido a atual crise econômica que assola o país. O artigo assim dizia: O Fórum de Padres de Madri, entidade que reúne padres das paróquias de bairros pobres e até de favelas, alega que não é o momento de o poder público gastar recursos com a visita do pontífice. Em um documento preparado para atacar a atitude do governo, os padres citam o FMI e alertam que o dinheiro deveria ser usado para ajudar as famílias mais pobres. 
O irônico é que me recordo da passagem do Evangelho que diz: "Pobres, sempre os tereis convosco, enquanto a mim, nem sempre me tereis" (Mc. 14,5). Evidentemente, o Papa não é Jesus. Mas o próprio Jesus afirmou: "Onde dois ou três estiverem reunidos em meu nome, ali estarei Eu no meio deles" (Mt. 18, 20). Quanto mais os milhares de jovens que neste momento se encaminham para a Espanha, para lá justamente encontrarem-se com Jesus e seu representante na Terra, o Santo Padre o Papa Bento XVI! Penso que é um grande trabalho de evangelização e testemunho para o mundo esta ocasião de tantos e tantos jovens estarem unidos em torno do sucessor de S. Pedro para orar. Acho que é muita mesquinhez da parte dos espanhóis e em particular, desta parte do clero espanhol que faz estas estranhas reivindicações. É como se esta quantia destinada à organização do evento (JMJ) fosse suficiente para fazer com que estas famílias ditas "familias pobres" deixassem de ser. Muitos desses jovens que para lá se dirigem, penso eu que também eles são pobres. Pois muitos ainda não encontraram a "Riqueza" que é a Vida com Jesus. 
Termino deixando minha reclamação à equipe do mencionado jornal que, em um ato de altíssima ignorância,  afirmou: O papa participa do Dia Mundial da Infância, que neste ano será celebrado em Madri. Não sei se foi falta de assessoria, ou sei lá. Mas o que sei é que o que acontecerá na semana que vem é a "JORNADA MUNDIAL DA JUVENTUDE", a qual também eu como jovem, gostaria de estar presente.

Vejam este vídeo abaixo:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...