domingo, 30 de janeiro de 2011

Site espanhol ajuda homossexuais a abandonarem a prática.

manos_inmigrante
Recentemente descobri um novo site em espanhol que auxilia homens e mulheres com tendências homossexuais a abandonarem a pratica homossexual e a viverem na castidade.

Ainda há um acompanhamento e também ajudam e orientam com o auxilio de uma terapia reparativa que tem se apresentado muito eficaz, mas apenas com os indivíduos que desejam a mudança! 
"Somos um grupo de pessoas de diferentes países da América Latina. Os homens casados e solteiros e mulheres, jovens e adultos ... Sacerdotes e leigos consagrados, todos os católicos comprometidos com a verdade, justiça e solidariedade que acreditam que somente a partir do novo homem pode ser um novo mundo".
Há ainda no site um ótimo acervo de livros que falam do assunto de maneira acessível e clara, que são disponibilizados para serem baixados da internet. É uma pena que tudo somente em espanhol.

A dica vale à pena!
Acessem:

sexta-feira, 28 de janeiro de 2011

O GRANDE DESAFIO DOS NOVOS MOVIMENTOS RELIGIOSOS

1. Falando a um grupo de Bispos do Brasil, em visita “ad limina apostolarum”, em 05/09/1995, em Roma, o Papa João Paulo II destacou o desafio que as seitas significam hoje para a Igreja na América Latina.
Referindo-se às seitas, o Papa disse que na América Latina deparamo-nos “com o grave problema das seitas, que se expandem, como uma mancha de óleo, ameaçando fazer ruir a estrutura de fé de muitas nações...”.
“Certamente a expansão das seitas constitui uma ameaça para a Igreja Católica...” (Redemptoris missio, nº. 50).
2. Afirma o Papa Bento XVI: “Percebe-se, contudo, um certo enfraquecimento da vida cristã no conjunto da sociedade e da própria pertença à Igreja Católica, devido ao secularismo, ao hedonismo, ao indiferentismo e ao proselitismo de numerosos seitas, de religiões animistas e de novas expressões pseudo-religiosas” (Conferência Nacional dos Bispo do Brasil/Pronunciamento do Papa Bento XVI no Brasil. Brasília: Edições CNBB, 2007, p. 63).
3. Nas últimas décadas, vemos com preocupação, por um lado, que numerosas pessoas perdem o sentido transcendental de suas vidas e abandonam as práticas religiosas; e, por outro lado, que significativo número de católicos estão abandonando a Igreja para entrar em outros grupos religiosos “(Documento de Aparecida, nº. 100 f).
4. Segundo o renomado pesquisador Padre Oscar Quevedo, SJ, existem, só no Brasil, mais de 56 mil seitas e religiões (www.clap.org.br).
5. Segundo a revista protestante Eclésia, edição nº. 91, já chegaram ao um total de 17.000 denominações protestantes na Brasil.
6. Pesquisa realizada pelo Projeto Brasil 2010, movimento multidenominacional que incentiva a implantação de igrejas protestantes, calcula que haja cerca de 150 mil templos evangélicos de todos os tipos no país (Defesa da Fé, Janeiro 2009, p. 51).
7. O Brasil é a maior nação pentecostal do mundo. Para cada padre existem quatro pastores. Nascida há apenas dez anos em Sorocaba, interior de São Paulo, a Igreja Mundial do Poder de Deus já tem mais de 500 templos. Abrindo quase 20 novos templos por semana em todo Brasil (Eclésia, edição 126, p.19).
8. Segundo cálculos apresentados pelo IBGE em seu último censo demográfico, a Doutrina Espírita tem cerca de 20 milhões de adeptos em todo o país, fora outras pessoas que professam o Espiritismo como segunda religião. Houve um crescimento de 40% entre o espaço dos dois últimos censos e, segundo a Federação Espírita Brasileira, estes números transformam o Brasil no maior país espírita do mundo (Revista Espiritismo, edição nº. 8, p.22).
Qual é a nossa resposta diante de tão grande desafio? O Documento de Aparecida responde: “Hoje se faz necessário reabilitar a autêntica apologética que faziam os Pais da Igreja como explicação da fé. Implica, na verdade. A capacidade de dizer o que está em nossas mentes e corações de forma clara e convincente, como disse São Paulo, ‘fazendo a verdade na caridade’ (Ef 4,15)”.   (nº. 229).
“O compromisso missionário de toda comunidade. Ela sai ao encontro dos afastados, interessa-se por sua situação, a fim de reencantá-los com a Igreja e convida-los a retornarem para ela” (DA nº. 225 d).
Milhares de pessoas envolvidas com os Novos Movimentos Religiosos estão oprimidas, deprimidas e escravizadas pelo medo e pela ideologia da teologia da prosperidade. A confusão doutrinária sectária tem feito muitos lares divididos, parentes que perderam a fé e outros destruídos.
O ilustre professor e escritor Dr. Felipe Aquino escreve: “Como dói ver milhões e milhões enganados, abdicando a Luz para viver nas trevas do erro” (Falsas Doutrinas–seitas e religiões, p.120).
Há 20 anos estudo os Novos Movimentos Religiosos e tenho como meta o pensamento do Código de Direito Canônico nº. 1752: “tendo diante dos olhos a SALVAÇÃO DAS ALMAS que, na Igreja, deve ser SEMPRE A LEI SUPREMA”.

Pe. Inácio José do Vale.
Professor de História da Igreja
Especialista em Ciência Social da Religião
Jornal Uma Nova Unção: Fraternidade Jesus Salvador,   Ed. 96.

quarta-feira, 26 de janeiro de 2011

Nossa Senhora, espelho da perfeição Divina

Este vídeo é algo muito interessante que muitos católicos fracos deveriam assistir para não dar mais ouvidos às calúnias de hereges.


Segunda parte:

domingo, 23 de janeiro de 2011

Semana de oração pela Unidade dos Cristãos 2011.

Hoje na oração dominical do Angelus, o Santo Padre, o Papa Bento XVI mencionou a SEMANA DE ORAÇÃO PELA UNIDADE DOS CRISTÃOS que estamos vivenciando nestes dias (de 18 à 25 de Janeiro de 2011). 
Neste ano de 2011, foi proposto por um grupo ecumênico de Jerusalém o seguinte tema:

"Unidos no ensinamento dos apóstolos,
na comunhão fraterna,
na fração do pão e nas orações" (Cf Atos 2,42).

Texto base nos diz:

"Eles eram assíduos ao ensinamento dos apóstolos e à comunhão fraterna, à fração do pão e às orações. O temor de Deus se apoderava de todo mundo: muitos prodígios e sinais se realizavam pelos apóstolos. Todos os que abraçavam a fé estavam unidos e tudo partilhavam. Vendiam suas propriedades e os seus bens para repartir o dinheiro apurado entre todos, segundo as necessidades de cada um. De comum acordo, iam diariamente ao Templo com assiduidade: partiam o pão em casa, tomando o alimento com alegria e simplicidade de coração. Louvavam a Deus e eram favoravelmente aceitos por todo o povo. E o Senhor ajuntava cada dia à comunidade os que encontravam a salvação".

Atos 2, 42-47.

Tradução Ecumênica da Bíblia (TEB).


"É muito significativo que este tema tenha sido proposto pelas Igrejas e Comunidades cristãs de Jerusalém, reunidas num espírito ecumênico. Sabemos quantas provas devem enfrentar os irmãos e irmãs da Terra Santa e do Oriente Médio. O seu serviço é por isso ainda mais precioso, confirmado por um testemunho que, em alguns casos, chegou até mesmo ao sacrifício da vida (...) Para ser no mundo sinal e instrumento de íntima união com Deus e de unidade entre os homens, nós cristãos devemos basear a nossa vida nestes quatro ‘pilares’: a escuta da Palavra de Deus transmitida na viva Tradição da Igreja, a comunhão fraterna, a Eucaristia e a oração” (Angelus 23-01-2011).



Os temas dos oito dias:
Há uma caminhada de fé que pode ser detectada nos temas dos oito dias. Desde seus inícios na “sala superior”, a primitiva comunidade cristã experimenta o derramamento do Espírito Santo, que lhe permite crescer na fé e na unidade, na oração e na ação, de modo a tornar-se verdadeiramente uma comunidade da Ressurreição, unida a Cristo em sua vitória sobre tudo que nos divide uns dos outros e nos separa dele. Então a própria Igreja de Jerusalém se torna um farol de esperança, uma degustação antecipada da Jerusalém celeste, chamada a reconciliar não somente nossas Igrejas, mas todos os povos.
Essa caminhada é guiada pelo Espírito Santo, que conduz os primeiros cristãos ao conhecimento da verdade sobre Jesus Cristo e que enche a Igreja primitiva de sinais e prodígios, para a admiração de muitos. À medida que prosseguem na caminhada, os cristãos de Jerusalém se reúnem com devoção para ouvir a Palavra de Deus pregada no ensinamento dos apóstolos, e se juntam em comunhão para celebrar sua fé no sacramento e na oração. Cheia do poder e da esperança que vêm da Ressurreição, a comunidade celebra sua vitória certa sobre o pecado e a morte, e assim tem a coragem e a visão para ser ela própria um instrumento de reconciliação, inspirando e desafiando todos os povos a superar as divisões e injustiças que os oprimem.


  • O dia 1 apresenta as bases da Igreja mãe de Jerusalém, deixando clara sua continuidade com a Igreja de hoje pelo mundo inteiro. Ele nos relembra a coragem da Igreja primitiva, que bravamente dava testemunho da verdade, assim como hoje necessitamos trabalhar pela justiça em Jerusalém e no resto do mundo.
  • O dia 2 recorda que a primeira comunidade unida em Pentecostes tinha em seu interior pessoas de origens diversas, assim como a Igreja em Jerusalém hoje representa uma rica diversidade de tradições cristãs. Nosso desafio hoje é conseguir uma unidade visível maior, capaz de acolher nossas diferenças e tradições.
  • O dia 3 contempla o primeiro elemento essencial de unidade: a Palavra de Deus apresentada através do ensinamento dos apóstolos. A Igreja de Jerusalém nos recorda que, sejam quais forem as nossas divisões, esses ensinamentos nos impelem a nos envolver em amor mútuo e em fidelidade ao corpo único que é a Igreja.
  • O dia 4 enfatiza a partilha como segunda expressão de unidade. Assim como os primeiros cristãos punham tudo em comum, a Igreja de Jerusalém chama todos os irmãos e irmãs da Igreja a partilhar bens e tarefas, com coração alegre e generoso, para que ninguém passe necessidade.
  • O dia 5 destaca o terceiro elemento da unidade: a fração do pão, que nos une em esperança. Nossa unidade vai além do momento da Santa Comunhão: ela precisa incluir a atitude correta a respeito da vida ética, da pessoa humana e de toda a comunidade. A Igreja de Jerusalém conclama os cristãos a se unirem na “fração do pão” hoje, porque uma Igreja dividida não pode falar com autoridade sobre temas de justiça e paz.
  • O dia 6 apresenta o quarto elemento de unidade: com a Igreja em Jerusalém ganhamos força pelo tempo que nos dedicamos à oração. Especificamente, a Oração do Senhor chama todos nós, em Jerusalém e no mundo inteiro, os fracos e os poderosos, a um trabalho conjunto pela justiça, paz e unidade, para que venha a nós o Reino de Deus.
  • O dia 7 nos leva além dos quatro elementos da unidade, com a Igreja em Jerusalém alegremente proclamando a Ressurreição, mesmo quando ela carrega a dor da cruz. A Ressurreição de Jesus é hoje para os cristãos em Jerusalém a força que lhes permite a permanência constante no seu testemunho, no trabalho para a liberdade e a paz na Cidade da Paz.
  • O dia 8 conclui a caminhada com um chamado das Igrejas de Jerusalém para um trabalho mais amplo de reconciliação. Mesmo se os cristãos conseguirem unidade entre eles, sua tarefa não estará completa, porque eles precisam se reconciliar com outros. No contexto de Jerusalém, isso significa relacionamento entre palestinos e israelitas; em outras comunidades, os cristãos são desafiados a buscar justiça e reconciliação em seu próprio contexto.
Durante esta caminhada de oito dias, os cristãos de Jerusalém nos convidam a proclamar e dar testemunho de que a Unidade – em seu sentido pleno de fidelidade ao ensinamento dos apóstolos e à comunhão fraterna, à fração do pão e às orações – nos dará a possibilidade de, juntos, superarmos o mal, não só em Jerusalém, mas no mundo inteiro.

terça-feira, 18 de janeiro de 2011

Dia Internacional do Riso: 18 de Janeiro.

Penso que uma das coisas mais praserosas da vida é rir e descontrair-se com diversoões sadias. E também acolher nossos semelhantes com um belo sorriso.


Quando rimos, fazemos entrar e sair mais ar dos pulmões do que durante a respiração normal e regular. Portanto, quando rimos, podemos estar introduzindo mais oxigênio no sangue, (estimulando a circulação). A freqüência cardíaca aumenta também, ajudando todo o processo.
Quando rimos, experimentamos ao mesmo tempo uma explosão de atividade, seguida de um período d e relaxamento em que os nossos músculos se encontram menos tensos do que estavam antes. Esses ciclos de tensão e relaxamento alternados impedem-nos, sobretudo de ficar fisicamente nervosos com os problemas do dia-a-dia.
E o riso é um sinal superficial de algo mais profundo e mais significativo - reflete um modo especial de encarar o mundo que nos faz sentir melhor e pode até nos ajudar a viver mais tempo.


Extraído de:
O Valorde UmSorriso

terça-feira, 11 de janeiro de 2011

Filme: Aparecida, o milagre

Na cidade de Aparecida o menino Marcos (Vinicius Franco) tem uma infância humilde mas feliz ao lado dos pais pessoas simples amorosas e devotas de Nossa Senhora Aparecida. O menino tem como grande sonho uma chuteira de futebol que ultrapassa as possibilidades financeiras do pai mais »trabalhador da construção da Basílica de Nossa Senhora Aparecida. Para realizar seu sonho o menino faz uma promessa à Santa: se conseguir a chuteira nunca mais vai fazer bagunça ou melhor só um pouquinho. A morte do pai (Rodrigo Veronese) em acidente na Basílica que tanto cultuava e da qual não pretendia se afastar por nada neste mundo provoca uma dupla perda no menino: a do companheiro próximo que lhe narrava os milagres da Santa e também a fé na Santa amada pelo pai por motivos que não conhece e a quem passa a responsabilizar pela sua morte.


domingo, 9 de janeiro de 2011

Livros interessantes e úteis...

Entrei este ano de 2011 lendo três livros que considerei muito relevante indicá-los a você leitor:







O primeiro deles é o livro do Pe. Paulo Ricardo, que fala da cura de doenças espirituais...
Da Ed. Canção Nova.












É um apanhado de várias meditações deste célebre monge-escritor Thomas Merton, que elevam nossa alma e nos aguçam a buscar a contemplação do Uno... Definitivamente, não é um livro para tomá-lo e devorá-lo subtamente, mas sim, é de saborear aos poucos para usifruir melhor do conteúdo passado.
Esta nova edição é da Fisus Editora (RJ).













Minha terceira indicação é este livro que traz de maneira mais simplificada e esmiuçada o método da Consagração à Nossa Senhora, segundo São Luís Maria de Monfort. É até melhor de der do que a tradução do original do santo. Vale à pena!
Da Ed. Santuário.

quarta-feira, 5 de janeiro de 2011

“Férias também é tempo de ser de Deus!”

Como um tempo de diversão pode ser um tempo consagrado a Deus? Podemos nos perguntar. Mas para responder peço licença para partir do nosso carisma (da Fraternidade Jesus Salvador): “O Louvor de Deus sob todas as formas” que culmina na liturgia!

E por liturgia deve-se entender tanto na concepção grega (Ação, Serviço público em favor do povo, ministério) quanto na Cristã (o exercício do sacerdócio de Cristo) que é a ação de Jesus Cristo em nós, por nós e, a nosso favor. Cuja maior serviço a humanidade é a doação de sua própria vida pela salvação das almas. Nestes prismas podemos dissertar com certa segurança sobre o tempo das férias.

Se a liturgia entre outras coisas é a ação do Cristo, ou seja, Sua entrada no tempo (Kronos) que se perpetua como obra de salvação atualizada em cada tempo de cada Santa Missa celebrada por nossas ofertas unidas a do sacerdote em uma única. A nossa vida particular toda é, uma vez batizados, um ofertar a vida toda por toda a vida até a Eterna.

Quando nós paramos uma certa atividade para fazer outra, não estamos deixando de viver, o que implica, não deixar de se alimentar, respirar, e todas os outros itens de sobre vivencia essenciais para nos manter no tempo, do mesmo modo no âmbito espiritual, uma vez batizados, nossa existência está toda consagrada em Deus, todas ela é para Ele, portanto para nos mantermos Nele é imprescindível mantermos os hábitos que nos garantem permanecermos na Vida Dele! Trocando em miúdos, é suicídio querer viver ou fazer qualquer outra atividade deixando dela os cuidados básicos de sobrevivência. E quais são os cuidados básicos para nos mantermos em Deus?

1- Bom assim como para continuarmos vivos precisamos nos alimentar, para nos maternos vivos para Deus e com uma vida em Deus, é fundamental nos alimentarmos de Seu Corpo, Sangue, Alma e Divindade presentes na Eucaristia.

2- Praticarmos outras atividades devocionais: terço, leitura orante da bíblia, devoções a Santos, leituras espirituais, jaculatórias, etc.

3- Termos sempre em mente o fato de estarmos na sua presença.

Talvez diante do exposto você diga: “Ah Frater, mas você esta querendo dizer é pra vivermos rezando nas férias?”

A resposta minha é: “É e não é”! Como assim! Estou alertando para ter uma vida toda em oração e não apenas algumas horas. Veja o carisma do nosso Instituto: “Louvor de Deus sob todas as formas” para nós salvistas, isto significa não apenas está num tempo determinado de braços erguidos, mas com toda a vida entregue, ofertada em Louvor a Deus, como nos pede Santo Agostinho ao afirmar: “Se queres dar um verdadeiro Louvor a Deus, lhe dará se viveres santamente”. Estamos alertando para você fazer das suas férias um momento mais que especial, estamos lhe dando a idéias de convidar Jesus a ir de férias com você, seja para o Shopping, para a Praia, um passeio com os amigos a beira do rio, ou a beira mar, ou a uma visita a um museu, e porque não ir com Jesus ao Cinema e ver um bom filme, ou seja, quando afirmamos “bom” é “bom mesmo”, interrogando no seu coração: “Será que Jesus veria este filme? Será que ele aceitaria ir comigo para aquele lugar? Ou eu o obrigaria a ir porque estar simplesmente indo? Sem poderá bem se esta ou aquela ação minha é condizendo com aquilo que sou. Será que lembro a afirmação de São que Diz: “Tudo posso, mas nem tudo me convém”?

Bom como cristãos podemos fato nos divertir, mas sem nunca esquecermos de que toda a nossa vida deve estar nas mãos de Deus e passar pelo discernimento de sua vontade que se dá na nossa consciência.

Que nestas férias possamos vive-la intensamente como uma extensão da Santa Missa e preparação para a mesma ao menos aos Domingos, como o dia Sagrado e separado para bem dizer a Deus pelas férias que me concede, pelos amigos que me faz rever, pelas pessoas que ajudo, e pela Igreja que nos lugares mais escondidos encontro como providência de Deus para que eu não fique sem a Sua Graça. Amém!

Que todos tenhamos ótimas férias, sem tirar férias da vida de Deus!!!

Autor: Frater Tomás Maria de Jesus, sjs.
Para o Jornal: Uma nova Unção (Ed. Jan/2011).
Fraternidade Jesus Salvador.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...